o palco rasga a gente.
dentes afiados.
língua de veludo.
navalhas nos dedos.
cerne.
ab_surdos.
buceta.
o palco é uma foda eterna.
daquelas.
o sentido único do palco é amar.
é saber que nada se sabe.
é aprender, somando.
o oco do silêncio duro.
e tem gente ali na sua frente
esperando
a sua
alma.
o sangue jorrando dourado.
esperando a luz
que só
se vê
no escuro do abismo.
um vício.
o palco é um sol.
é o sol queimando a boca que beija
o coração de deus.

 

 

 

 

 

cantar é morrer.
é beijar a boca proibida.
fazer amor com toda a humanidade.
é ver-se no rosto do outro que me é.
que me erra.
é matar a dualidade.
transar o fluxo.
eterno retorno de quem anda ao contrário.
de quem voa.
é asa na casa da loucura sã.
é na melodia que se encontra a vida.
vã.

 

 

 

 

a beleza é.
a beleza fode.
muito além do que nos é ensinado, dito ou reverberado.
a beleza está em saber-se_r.
sem comparações, rótulos ou regras.
aceite-sê.
com todo o seu fucking_coração.
você é único no mundo.
e é exatamente neste fato que reside toda a trans/cendentalidade da sua luz.
da sua poesia.
não importando o que digam, pensem ou manifestem.
se outros não podem ver ou compartilhar da sua beleza, é porque provavelmente, ainda não a reconhecem em si mesmos.
desejam frustrar o outro, para não se sentirem sozinhos em sua dor.
é tudo uma questão de tempo.
de amor.
e consciência.
somente esse olhar de tesão de você por você mesma é que transformará a essência das coisas.
não existem defeitos.
apenas singularidades.
histórias.
maravilhosidades.
idiossincrasias.
mais e mais belezas.
reconhecendo-as em si, verá em todos.
viva a diferença.
nossa verdadeira riqueza.
viva a sabedoria com que podemos escolher nos ver.
nos saber.
nús.
ser.

 

 

 

 

 

quando eu nasci, entendi que tava num mundo invertido.
rodeada por muita gente que fingia não se importar com as coisas absurdamente belas.
e que essa gente que tá ao contrário, muitas vezes, machuca você.
ela te fode pra dor dela ser menor.
mas isso é ilusão.
porque a beleza do que tá lá dentro e que te emociona, ainda vai transbordar em todo mundo.
eu sei que vai.
vai mesmo.
é impossível se abster da poesia da vida por toda a vida.
e também por que isso aqui é só uma passagem.
só mais uma.
mas o tempo é relativamente curto pra você tirar de dentro de você o tanto que você aprendeu a não se amar.
e tudo vai começar daí.
todo mundo vai descobrir que é luz.
pura luz.
luz imensa.
infinita.
e aceitar esse fato.
aceitar o seu amor por você mesmo.
um amor que olha pro outro e se vê igual.
um amor que transcende o ego e reconhece a beleza fudida de estarmos todos juntos, no mesmo barco, com as mesmas indagações e sentimentos.
eu tô esperando esse momento e, enquanto ele não chega, torço todo dia pra que todo mundo descubra que tá tudo ali, dentro de si.
e daí vem um outro eu.
um outro nós.
um outro planeta.
o mesmo de sempre.
perfeito.
belo.
insondável.
só que desinvertido.

 

 

 

 

 

 

 

somos éramos
efêmero eterno
no coração da vida
o que fica
é o gesto