quando eu nasci, entendi que tava num mundo invertido.
rodeada por muita gente que fingia não se importar com as coisas absurdamente belas.
e que essa gente que tá ao contrário, muitas vezes, machuca você.
ela te fode pra dor dela ser menor.
mas isso é ilusão.
porque a beleza do que tá lá dentro e que te emociona, ainda vai transbordar em todo mundo.
eu sei que vai.
vai mesmo.
é impossível se abster da poesia da vida por toda a vida.
e também por que isso aqui é só uma passagem.
só mais uma.
mas o tempo é relativamente curto pra você tirar de dentro de você o tanto que você aprendeu a não se amar.
e tudo vai começar daí.
todo mundo vai descobrir que é luz.
pura luz.
luz imensa.
infinita.
e aceitar esse fato.
aceitar o seu amor por você mesmo.
um amor que olha pro outro e se vê igual.
um amor que transcende o ego e reconhece a beleza fudida de estarmos todos juntos, no mesmo barco, com as mesmas indagações e sentimentos.
eu tô esperando esse momento e, enquanto ele não chega, torço todo dia pra que todo mundo descubra que tá tudo ali, dentro de si.
e daí vem um outro eu.
um outro nós.
um outro planeta.
o mesmo de sempre.
perfeito.
belo.
insondável.
só que desinvertido.

 

 

 

 

 

 

 

somos éramos
efêmero eterno
no coração da vida
o que fica
é o gesto

 

 

 

 

 

 

além da compreensão
corpo seixo osso
tez tesão
pêlo cabelo pelo
escalpelado chão
imaterial mensurável
portal do esquadro
peso dourado
trança—transa do leão
liberta o olho
acomodadomorto
caiu alado
ímã da coroa ação

 

+ + para tunga

 

 

 

nós somos cínicos
vampiros
inimigos do amor
decididos iludidos
procurando luz
sussurrando dor
arrastando as crias
lambendo a vida
com a língua do pudor
na trégua de um temor

 

 

 

 

perdia-se no silêncio da beleza das coisas encrustadas do não entendimento
maravilhada
inventava um jeito de se ser
banhando-se na perfeição dos alegres
solicitava um amor sólido
por entre as barbatanas do coração, uma criança invisível cantava
ah, se fosse triste
não era belo
era sim
o que não tem sentido
se traduz num passo torto amarrado à uma estrela