BIO

Ana Cañas estreia no mercado fonográfico em 2007 com o álbum ‘Amor e Caos’, considerada a revelação musical do ano pela crítica especializada.

 

Em 2009 lança seu segundo álbum, ‘Hein?’, que traz as primeiras parceiras com Arnaldo Antunes e também a balada ‘Esconderijo’.
No mesmo ano, grava com Nando Reis a música ‘Pra Você Guardei o Amor’ - dueto que se tornou um grande sucesso nacional.

 

Em 2012 lança o álbum ‘Volta’ - que apresenta uma versão para ‘Rock And Roll’ do Led Zeppelin e as autorais ‘Será que Você Me Ama?’ e ‘Urubu Rei’. O disco transformou-se, posteriormente, no show e DVD ‘Coração Inevitável’ e contou com a direção e iluminação de Ney Matogrosso.

 

Em 2015, Ana lança o 4º álbum de estúdio e o primeiro totalmente autoral, intitulado ‘Tô Na Vida’ e mixado por Mario Caldato Jr.

Em 2017, Ana lança o single ‘Respeita’ - música que aborda diretamente a violência de gênero e o assédio. A música ganhou clipe que conta com a participação de 86 mulheres que estão na linha de frente da resistência feminista do país, como Elza Soares e Maria da Penha.

 

Em 2019 Ana Cañas lança o 5º disco de estúdio, 'Todxs'. Empoderado, feminista, com beats eletrônicos pesados e grooves sensuais, o álbum tem forte cunho político – especialmente no que diz respeito às pautas feministas e de defesa dos direitos das minorias. Indicado ao Grammy Latino 2019 como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo, o trabalho foi produzido pela própria artista em parceria com Thiago Barromeo e conta com as participações de Chico Chico e do rapper Sombra.

 

Atualmente a artista está gravando seu 6º álbum, um tributo às canções de Belchior. A concepção do projeto se deu durante a pandemia de Covid-19, quando Ana Cañas idealizou uma live cantando a obra do compositor cearense.

Foto: Ariela Bueno